quarta-feira, 23 de abril de 2008

O Menino e o Rato

Bem, já que falamos muito de barata, melhor passar a um assunto mais
agradável...

- O quê? Você acha que o Martinho teria sido capaz?
- Claro! Quem mais iria querer roubar a fortuna da Maria Carolina?
- Pois pra mim vocês dois estão enganados. Eu aposto que foi o Cerqueira!
- Que Cerqueira o quê, o Cerqueira é apaixonado pela Maria Carolina! Só um idiota acha que foi o Cerqueira!
- Calma, meninos, não vão brigar por causa disso. No capítulo de amanhã a gente fica sabendo.
- É... Ai, ai... que horas são?
- Mas o Cerqueira finge que gosta da Maria Carolina e...
- Ai! Olha lá, olha lá, mãe!
- O quê foi?
- Uma coisa pulando atrás do sofá!
- Pulando? Ai, Ai, Minha Nossa Senhora, Misericórdia! Socorro!
- Eu vi, é um morcego!
- Não... É um... É um rato!
- Ai, Meu Jesus, Meu Jesus! Um rato! E agora???
- Nossa! O quê a gente faz?
- Eu tô com medo, eu não sei matar isso, se a Marieta tivesse aqui! Tinha que aparecer a essa hora?!
- Eu vou ficar em cima da cadeira.
- Eu vou ligar pro Acílio!
- Isso, liga pro meu pai, liga!
- Tá chamando......
- Tomara que ele não esteja dormindo.
- Acílio, Acílio! Tudo bem? Você não acredita: tem um rato aqui... Os meninos viram, um rato! O Gustavo falou que é um rato! O Felipe acha que é um morcego... Está atrás do sofá... Pelo amor de Deus, vem pra cá! Agora!
- Ele vem???
- Disse que vinha... O que a gente faz? Eu vou pegar uma vassoura!
- Pega duas!
- Pega três!
- Chegou o táxi.
- Moço, o senhor pode ajudar a gente a matar um rato?
- Não precisa, Helena. Quanto é a corrida?
- Se quiser eu fico, doutor...
- Ah, então fica, moço, ele não vai enxergar e...
- São oito cruzeiros antigos novos.
- Pára com isso, Helena, eu já disse que não precisa!
- Mas, Acílio, o moço ajuda você, é bem melhor e...
- Olha, o senhor me leva de volta.
- Tá bom, tá bom, não precisa... Mas o quê tem de mais? O chofer ajuda você e...
- Tchau.
- Não, fica, pelo amor de Deus, Acílio!
- Fica pai.
- Boa noite hein.
- Boa Noite, doutor. O senhor quer que eu espere?
- Não, pode demorar, eu ligo. Obrigado.
- Cadê ele?
-Atrás do sofá, pai!
- Agora eu não sei se tá mais lá, pai!
- Vamos tirar tudo, quem me ajuda?
- Eu, pai, eu...!!!
- Como o Felipe, é corajoso, né Gustavo! Vamos pra cozinha então...
- Vou colocar você... ai, que peso!... em cima do balcão.
- Isso pai, daqui de cima eu olho tudo e... Pai, olha ele lá!
- Aonde, aonde!
- Atrás de você!
- Cadê!
- Entrou atrás da cortina!
- Agora eu pego.
- Tá vindo pra cá! Tá vindo pra cá!
- Mostra, onde tá!
- Aaaaaa, tá subindo aqui no balcão, socorro!!! Mãeeeee!
- Que foi, Felipe! Corre, entra aqui!
- Abre que eu vou!!.....aaaa tá vindo atrás de mim.
PLAMFT.
- Nossa, mãe, ele tava querendo me pegar! Ufa...
- Olha ele! Olha ele!
- Ai, Meu Deus, onde Gustavo, socorro!
- A cabeça na porta!!!
- Nossa! Ele prendeu a cabeça na porta quando o Felipe entrou! Acílioooo!
- Puxa, não fosse eu ter ido ajudar o meu pai, hein, mãe!!!

Um comentário:

drips e fefê disse...

kkkkkk verdade que você "enforcou o rato" ? não !!!!!!!!!!!!! eu não acredito.... Gustavo correndo de rato kkkkk e o Tio Acilio pegando táxi pra matar rato kkkkkkkkkkkk Coitado do Tiradentes kkkkkk bj

Pesquisar este blog