segunda-feira, 2 de junho de 2008

A Barata do Altair

2008. Após a morte de Getúlio Vargas, o AI-05, a Guerra do Golfo, a Guerra da Xexênia e o último capítulo de Duas Caras, o Brasil entra em forte depressão. A miséria borbulha nos ralos da grande pátria. Altair, menino órfão de doze anos de idade, pede esmolas na rua a troco de "esmolas". Mas ele não está só. No borbulhar dos bueiros ele conhece Alzira, uma barata anã ilusionista que, ao lado do garoto, passa a fazer pequenas mágicas na esquina para sobreviver. Portadora de Transtorno-Obssessivo-Compulsivo, ela é obrigada a bater na madeira toda vez que ouve um nome: Lula. De tanto bater, ela perde uma pata e usa um palito de fósforos como muleta. O garoto Altair resolve levá-la ao Circo dos Horrores para exibi-la, mas uma passagem para Brasília era muito caro. Altair e sua barata formam então, com a ratazana Bob, o trio "Boca de Lobo", excursionam pelo país, ganham milhões de reais e entram para a política. Lá, são corrompidos e têm seus mandatos cassados. Hoje, Altair, Bob e Alzira vivem na litorânea Acapulco, no México, e apresentam, numa pequena casa de espetáculos, uma turnê de comédias de costumes; o Brasil nunca mais foi o mesmo.

Um comentário:

drips e fefê disse...

kkkk eles não fazem shows no cassino ????? kkkk barata sem pata .... eu conheço alguém que faz igualzinho por causa de um nome que começa com Leon e termina com cio kkkkk

Pesquisar este blog