sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Soneto

Soneto de André Muylaert Archer.

SONETO À ANA MUYLAERT

É meu amor somente o meu anelo
No qual eu vivo puro a adorar
E é meu amor que eu canto e adoro e velo
Vivendo puramente só de amar
É tua vida a minha vida e o elo
Perdido no infinito a se infindar
É minha vida o que preparo e selo
A fulgurar exausta sobre o mar
É meu amor somente a minha vida
Morrendo tristemente no meus olhos
Ah!Vida em morte sempre convertida
É minha vida todo o meu amor
Vivendo puramente nos teus olhos
Ah!Amor resplandecente de fulgor

3 comentários:

drips e fefê disse...

Você tem o original ?!!! fiquei contente e triste ao mesmo tempo. bj

drips e fefê disse...

Tirei do orkut da Aninha, pensei
que você já tivesse visto...

drips e fefê disse...

Eu nem sabia que ela tinha isso !!!

Pesquisar este blog