quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Um nome que eu não posso falar



Eu não posso falar esse nome. Esse nome é de um homem.
Ao ver esse nome escrito num convite de casamento que recebemos me lembrei do dia na ponte Rio/Niterói em que voltávamos, primos e tia paulistas, de uma visita a sua amiga.
A gente fez tanta besteira na casa da amiga dela que durante o trajeto todos ríamos de "fazer xixi na calça", só ela fez.
Imagina o que é uma Sra., vermelha de tanto rir, com três figuraças, seus filhos e sobrinha, levantar toda mijada com aquela marca do mijo contornando a bunda ? E foi isso que aconteceu.
Ela gostou. Ela gostava muito da bagunça. E foi por causa dela que eu me lembrei que eu não podia falar o nome do homem. Cada vez que eu falava o nome do homem ela batia na madeira. Falei mais de trinta vezes pra testá-la e ela bateu as trinta vezes e a trigésima primeira seria em mim !
Escrevi uma uma página inteira com esse nome só pra imaginar ela batendo na madeira....
Como disse meu primo, esse nome de homem só na novela "Escrava Isaura" e eu digo, na novela "Pantanal" também.
Eu não posso dizer esse nome, quem falar bata na madeira. !

2 comentários:

Martuscello disse...

Que nome???? Heinnnnnnnn??? Fala aíiiiiiiiiii...

wallper.lima disse...

Olá Agripinos!Rsrs...
Vim aqui conhecer o blog de vcs, pois se tornaram meus seguidores.
Gostei mto do jeito descontraído e mto engraçado de escrever...onde falam... e até agora não sei se tdo isso é uma invenção... que não existem 2 pessoas, mas apenas 1, ou é a pura verdade...mas não importa, pois o que conta, é que ri mto, e achei super interessante a maneira como tdo é abordado.
Gostaria de receber um comentário, para nos conhecermos melhor e assim quem começar a seguir esse blog.
Abraços.
Waleria Lima.

Pesquisar este blog